top of page
hotmart i (4).png

✧ 24/08/2023 ✧ Presença ✧ LEIA AQUI


Hoje eu gostaria de compartilhar com vocês uma experiência que tive há muito tempo e que me trouxe uma grande compreensão.

Isso aconteceu há mais ou menos uns 12 anos atrás. Eu estava na faculdade, cursando o terceiro ou quarto semestre do curso de Psicologia da Universidade São Francisco, no campus de Itatiba.

Naquela época eu trabalhava em turnos durante o dia e a noite eu estudava. Como eu tinha muita vontade de aprender eu me dedicava com afinco, não era raro eu atravessar a noite lendo e estudando. Isso me dava prazer, mas ao mesmo tempo me deixava exausto. A maior parte do tempo eu me sentia muito cansado.

Um dia como outro qualquer, eu aproveitei o intervalo entre uma aula e outra para tomar um pouco de ar no pátio. Eu me sentei sozinho em um banco e fiquei olhando o movimento das pessoas indo e vindo. Nesse dia eu estava tão cansado que eu não conseguia pensar em nada, então fiquei ali, em silêncio. Até que algo aconteceu. De repente eu comecei a sentir uma tristeza e percebi que ela vinha de dentro de mim, fiquei ali meditando nela. Mas antes que esse sentimento crescesse eu fui invadido por um amor que eu nunca tinha sentido na minha vida. Eu senti como se o tempo tivesse parado, comecei a olhar para as pessoas que caminhavam pelo campus e sentia um profundo amor por elas também. Eu via pessoas sorrindo, eu via pessoas preocupadas, tensas, com pressa e outras meio desligadas. Mas por todas eu sentia a mesma coisa. Um amor profundo, muito maior do que o que eu sentia por aqueles que me são mais caros, muito maior do que eu podia compreender. Eu olhava as pessoas e não me importava o nome delas, ou o que elas faziam com o tempo que tinham, se eram honestas ou não, se faziam bem ou se prejudicavam outras pessoas, eu as amava na mesma intensidade. Essa onda de amor durou apenas alguns minutos, depois foi passando e fui voltando a sentir um pouco de tristeza e o cansaço do meu corpo novamente. As pessoas continuavam indo e vindo, mas o sentimento já não estava mais lá. Agora eram apenas estranhos, tão cansados e alheios como eu, talvez.

Naquela época eu não sabia nada de espiritualidade e nem sequer me considerava uma pessoa religiosa. Na verdade eu tinha muitos problemas emocionais e de relacionamento. Então não consegui dimensionar o que havia acontecido naquele momento. Mas a experiência ficou comigo. Cheguei a perguntar para algumas pessoas mais próximas se já tinham sentido algo parecido, mas todo mundo me olhava com uma certa desconfiança e dizia que não. Por fim decidi não pensar nisso e não falar mais também, acreditava que podia ter sido algo da minha cabeça, por conta do cansaço. Embora eu não conseguisse ignorar o que eu havia sentido.

O tempo passou e a vida foi seguindo. Por volta de 2016 eu tive um despertar espiritual, passei a ler e estudar de tudo sobre o tema e comecei a ter uma percepção diferente sobre o que tinha acontecido naquela fatídica noite.

A princípio eu acreditava que uma consciência elevada havia se aproximado de mim e que através da presença dela eu pude sentir esse amor imensurável. Então eu me questionava, mas quem terá sido essa consciência? e porque ela me daria essa oportunidade? Não fazia muito sentido.

Foi então que, lendo os livros do Eckhart Tolle, eu passei a compreender o que havia acontecido. Naqueles poucos minutos eu acessei a dimensão do Agora e pude sentir a presença do meu Ser, que é também a fonte de tudo o que existe. Eu pude compreender que aquela onda de amor incondicional, que nada julga, que abraça todas as criaturas, é a minha própria natureza.

Mas não só minha, é sua também, de tudo o que existe.

Eu sei que as palavras não conseguem alcançar uma ínfima parte do que os sentimentos abarcam. Eu me arrisquei a escrever sobre isso, com o risco de ser mal compreendido.

Mas o que eu gostaria de compartilhar é essa certeza. De que somos feitos da mesma matéria prima que criou tudo o que existe, da mesma matéria prima das coisas mais belas e puras.

E não se trata de alcançar algo, de ter méritos, de se tornar um "ser elevado". Tudo já está aqui, disponível para todos nós. Mas estamos tão apegados aos nossos pensamentos, tão apegados a nossas criações internas, nossas ilusões, que preferimos abdicar da nossa verdadeira morada para existir no mundo ficcional que construímos nas nossas mentes.

Eu gostaria de te ensinar a chegar nesse lugar, a voltar pra casa. Mas eu ainda estou nesse caminho. Ainda tenho mais perguntas do que respostas. Mas também tenho certeza do que senti.

Não descarto a hipótese de ter recebido alguma ajuda naquela noite. Mas tudo o que sei é que para acessar esse lugar é preciso Ser. Não se trata de fazer algo, conquistar o quer que seja, é sobre Ser, é sobre silenciar, é sobre soltar.

Nesse lugar onde somos, toda a ilusão se dissipa e podemos tocar e sentir a verdadeira realidade.

Depois dessa experiência eu tive mais algumas involuntárias em que pude sentir esse amor, e outras poucas através da meditação e da oração. Sei que meu apego e meus medos me impedem, me fazem sentir como uma gota pequena diante do oceano. E está tudo bem. Chegará o momento em que serei oceano. Chegará o momento em que seremos oceano.

Até lá, eu continuo carregando a certeza de que a eternidade mora dentro de mim e que o Grande Espírito sabe de todas as coisas.

Eu espero que esse relato te traga alguma confiança no dia de hoje.

Que você possa se permitir confiar nesse Amor que sustenta tudo o que existe.

Saiba que você é amada (o) e que não importa por onde você tenha andado, não importa o que tenha cultivado dentro de ti, nada pode diminuir a tua grandeza.

Os teus pecados são do tamanho do julgamento que você tem para com você mesma (o). O todo não julga ninguém, nós é que julgamos.


Segue com confiança!

Aquele que criou todos os caminhos, conhece os teus pés!


Bom dia!


MÚSICA ⋆ Me Leva pra Casa ⋆ CLIQUE AQUI para ouvir no YouTube


4 comentários

4 commentaires


Maria
Maria
24 août 2023

💕É lindo demais ler você e sentir toda profundidade das tuas palavras. Sou muito grata por você compartilhar essa experiência mágica 💕Meu coração vibra e eu me emociono...

J'aime

Que presente, reencontrar vocês.

Como somos abençoados...


🤍🤍🤍


J'aime

Higen
Higen
24 août 2023

Isso me acontece às vezes - muito de vez em quando, infelizmente-, to trabalhando, distraída, e "do nada" sinto um amor que não cabe em mim por tudo no mundo.

Confesso que nestas horas minha reação é de desconfiança - porque eu sou uma idiota - kkkkkkk


Seria isso um tipo de nirvana? Ou um bônus?

J'aime
Danilo Willian
Danilo Willian
24 août 2023
En réponse à

Kkkkkkkkk, não sei também!


Segundo o Sr. Tolle esse é o nosso estado natural. Quando deixamos de fixar a mente no conteúdo das coisas e passamos a perceber o espaço que existe entre elas, nós alcançamos uma outra dimensão.

Ele diz que os espaços são muito maiores do que o conteúdo manifestado, uma vez que todo conteúdo emerge desse espaço. (Palavras, pensamentos, ações...tudo).


E isso até que faz sentido, pois pensando no princípio de correspondência (Assim como é em cima é embaixo). Há mais espaço no espaço do que conteúdo. Deve ser assim com a gente também.


E nesses momentos que conseguimos nos distrair, ou conscientemente se conectar com esse "espaço" Nós , meio que voltamos pra casa por alguns…


J'aime
bottom of page